Dicas Tabela FIPE

Dê ouvidos a seu motor e não ignore os sinais do superaquecimento.

Os motores, desde o seu surgimento, tem sido de grande importância para todos os setores econômicos, industriais, comerciais e por aí vai. Com o tempo, os motores sofreram grandes intervenções tecnológicas e, atualmente, os motores de carros são silenciosos, modernos e superpotentes. Mesmo assim, ainda há um grande vilão nessa história toda: o superaquecimento dos motores. Se você quer saber as possíveis causas desse problema, confira essa lista.

Uma boa manutenção no seu veículo vai contribuir para que o seu motor dure mais tempo, além de evitar que você faça a troca do automóvel antes do tempo. Ainda que os motores atuais sejam feitos para durar, eles não podem suportar temperaturas muito altas por um longo tempo. O superaquecimento pode destruir o seu carro e o reparo é inviável. Por isso, tome cuidado e preste atenção nas possíveis causas.

A principal causa desse problemão é o baixo nível de água no sistema do seu motor. Deixar de encher o reservatório é negligenciar o bom uso do seu veículo e pode te custar caro. O problema é resolvido com consciência e mudança de hábitos, como por exemplo, sempre verificar o nível do reservatório, ao menos, duas vezes por semana. Se você tiver dúvidas de como fazê-lo, peça ajuda para algum amigo.

O termostato é um componente que informa ao sistema de refrigeração do automóvel a temperatura exata do veículo e, a partir disso, o sistema de refrigeração entra em ação, se necessário. No entanto, se o termostato estiver danificado, ele informará ao sistema uma temperatura irreal, quando na verdade, o motor está quente, muito quente. Esse problema vai impedir que o carro fosse resfriado corretamente. A princípio, o carro vai apresentar falhas e você deverá, imediatamente, levá-lo a oficina. A troca do termostato resolverá o problema.

Da mesma forma que o reservatório de água, o óleo lubrificante também deve ser verificado com uma boa frequência, já que ele serve para lubrificar as peças em seu estado de funcionamento. Caso você coloque um óleo de má qualidade, se prepare! O motor vai aquecer e você terá de colocar a quantidade ideal de um bom óleo lubrificante. Ah. Importante dizer que você deve verificar com o fabricante a quantidade e o tipo de óleo correta para seu veículo.

O custo para reparar o seu motor depois de grandes danos pelo superaquecimento pode ser muito alto. Por isso, é importante não negligenciar alguns pontos mencionados aqui e sempre estar atento ao indicador no painel. De fato, é melhor se prevenir do que remediar.

Mesmo com uma boa manutenção e peças de qualidade, o carro pode superaquecer. O motorista deve estar atento a alguns sinais, como por exemplo, uma fumaça branca saindo do capô. Como mencionado aqui, o indicador do painel também pode indicar qual a temperatura do carro e, caso você perceba que ele está muito acima do normal, pare imediatamente.

Se você costuma usar o ar-condicionado, preste bastante atenção a esse detalhe. O ar quente que sai do ar-condicionado não significa que o motor está superaquecido naquele momento, mas o aquecimento pode estar em desenvolvimento. Na dúvida, melhor verificar.

Lá vai uma dica importante: nunca negligencie possíveis sinais que seu carro te dá. Geralmente, antes de acontecer o superaquecimento do motor, o carro passa por várias etapas. Ficar atento a esses detalhes pode evitar um prejuízo enorme a você. E, caso você esteja dirigindo em locais afastados, pare o carro, desligue o motor e ligue para o reboque, peça ajuda de sua seguradora ou ligue para um amigo. É importante que você não se arrisque. Afinal, o superaquecimento poderia, na prática, ser evitado.