Dicas Tabela FIPE

Saiba como rebaixar o seu carro de forma segura.

Os carros rebaixados são uma verdadeira paixão para alguns motoristas que exibem por aí os seus veículos esteticamente modificados. Você sabe como é feito o rebaixamento de um carro? E quanto às consequências de ter um rebaixado? Confira no nosso artigo alguns procedimentos para ter um carro rebaixado com segurança e exclusividade.

Alguns motoristas dizem que ter um carro rebaixado causa uma estabilidade maior no veículo, outros alegam que a estética é a principal vantagem. Mas será mesmo que a estabilidade é tão melhor assim? É preciso tomar cuidado, pois alguns procedimentos podem danificar o seu veículo e até causar sérios problemas.

O procedimento mais comum usado para o rebaixamento de um veículo é cortar as molas da suspensão, isso causa um grave problema no conforto do automóvel que deixa de ter a sua originalidade. É muito comum que algumas pessoas aqueçam as molas, mas isso é um tanto arriscado, já que em alguns casos podem causar graves acidentes. Mas a forma mais correta de realizar o rebaixamento é através da suspensão fixa, conhecida também como suspensão preparada, que é o mais recomendado para todos os automóveis já que é legalizada.

Existem outras formas de rebaixar o carro, como por exemplo, comprar a suspensão fixa que já vem pronta ou encomendá-la. A vantagem da suspensão fixa é a legalização, além de garantir o conforto do carro. A suspensão a ar também é muito comum, porém não é recomendada para carros, pois é legalizada somente para caminhões. A suspensão a ar é muito chamativa, porém perigosa, já que pode causar capotagens.

Existe também a suspensão de rosca que, da mesma forma como a suspensão a ar, não era legalizada. Mas houve alteração da lei e esse tipo de suspensão agora é permitida em carros. Sua principal vantagem é o ajuste de altura do carro, claro que com limites determinados pela lei.

A legalização do rebaixamento de veículo entrou em vigor em 2008, mas ainda é bastante restritiva já que permite somente o rebaixamento por suspensão fixa ou por rosca. Ainda assim, o motorista que quiser realizar o procedimento deve entrar em contato com o DENATRAN de sua cidade com antecedência e solicitar a autorização para modificar o seu carro.

Essa autorização é o CSV – Certificado de Segurança Veicular – e somente depois disso, poderá procurar um centro mecânico credenciado e autorizado pelos órgãos de trânsito. Aliás, qualquer mudança na originalidade de seu veículo deve ser avisada com antecedência ao DENATRAN. O desrespeito a essa lei pode causar a apreensão do carro e o motorista vai desembolsar uma boa quantia em grana para resolver esse problema.

Além desses requisitos para o rebaixamento do seu carro, você ainda precisará passar por vistorias com o INMETRO e o DENATRAN para realização de testes de segurança. O DENATRAN exige que a altura mínima do veículo seja de 10 centímetros do solo. Carros que, porventura, não tenham altura mínima estipulada não serão legalizados, mesmo que sejam feitos através da suspensão fixa. Ah! E os pneus não podem tocar na lataria do veículo ou em qualquer parte, conforme determinação da resolução 479 de 2014.

É por isso que ao rebaixar um carro, você deve pensar muito bem. Os danos ao veículo podem ser irreversíveis, além de gerar prejuízos financeiros e problemas com os órgãos de trânsito. Trincas, rachaduras e amassados podem começar a surgir devido as frequentes batidas no solo.

Em alguns casos, a carroceria pode ter perda total. Fique atento quanto às peças usadas em seu veículo, verifique a qualidade, aliás, sua segurança está em jogo. Por isso, pense muito bem antes de sair rebaixando o seu carro por aí.