Dicas Tabela FIPE

Scanner automotivo: entenda um pouco mais

Você já ouviu falar sobre o scanner automotivo? Sabe quando seu carro dá algum defeito e você leva na oficina, o mecânico logo diz que vai precisar do scanner? Pois bem, vamos falar sobre este recurso e como ele funciona.

Todo motorista, provavelmente, já teve que levar seu carro pra verificar sobre qualquer problema, por exemplo, o marcador de velocidade não está funcionando mais. O mecânico, com certeza, vai cobrar um valor pelo uso do scanner automotivo, claro que se você optar por não fazer o reparo com ele. Até aí tudo bem, mas o que seria incorreto é o mecânico cobrar o uso do scanner e o reparo em um mesmo serviço, já que em um estará incluso o preço do outro e você vai acabar pagando duas vezes o mesmo valor pelo recurso usado. Mas se o mecânico cobrar pelo serviço, mesmo que você não faça o reparo, não reclame e vou te dizer o porque.

Conectar o veículo no aparelho, o tempo gasto e o recurso usado geram custos e por isso, mesmo que você não faça o reparo, deve ser pago. O seu carro ocupou tempo e espaço na oficina, além de ter uma pessoa cuidando do seu carro durante aquele período. Quando o scanner apontar falhas e códigos de erros, o mecânico deverá verificar o que está ocorrendo, abrindo o capô, levantando o veículo e confirmando os possíveis erros. Então, não é só conectar os fios e tudo certo.

Aliás, desconfie de oficinas que dizem oferecer o serviço gratuitamente. É quase certo que, ao passar o scanner, alguma coisa indique errado.

No geral, sempre tente passar o scanner completo no carro e não somente em locais específicos. O scanner é somente uma etapa do processo, pois existem diversas outras etapas que fazem parte do serviço. Mesmo levando horas, é melhor sentar, esperar e sair da oficina com o problema resolvido.

Claro que o preço cobrado não é tão barato assim, já que os melhores mecânicos estão com os scanner automáticos mais modernos e precisos. Além disso, eles estão cobrando por hora usada no veículo. Por isso, o preço vai ser um tanto salgado e vai variar bastante.

Se o resultado do serviço apresentar um problema simples, nada muito difícil de resolver, o valor a ser pago será, em média, 10% de um salário mínimo. Mas se o problema for mais complexo e mais demorado para se resolver, pode ser que o valor pago seja muito superar a um salário mínimo, dependendo do veículo.

Os problemas que vão e desaparecer depois podem ficar registrados na memória do scanner sobre um determinado veículo. Mas o mecânico vai simular cada erro e falha para garantir que realmente existe um problema e não é somente um problema salvo na memória do scanner. Os testes comumente feitos nesse tipo de serviço é enviar sinais a um determinado sensor do carro e verificar se o sensor emite uma resposta ao scanner. Você já  percebeu que a complexidade no uso desses scanner podem resolver qualquer problema do seu veículo? Por isso, os valores pagos podem ser muito maiores do que 25% de um salário mínimo.

Vai comprar ou vender um carro, moto ou caminhão? Consulte a Tabela FIPE. Clique aqui, consulta online e gratuíta!

Se você ainda continua achando que o scanner automático não resolve nenhum problema e a oficina está apenas enrolando, talvez seja melhor você pesquisar mais a fundo. Então, já sabe, ao levar o seu carro na oficina e, se necessário, o mecânico tiver de fazer uso do scanner automático, você deverá pagar pelo diagnóstico e tem a opção de realizar o reparo ou não. Você pode levar o seu carro para outro local ou mecânico, ou até mesmo, fazer o reparo por conta própria. Mas o ideal é sempre realizar no mesmo local em que fizer o diagnóstico. Lembre-se, você pode economizar muito mais do que dinheiro…